Menu principal
 

Objetivo

Gerais
O curso de Engenharia de Controle e Automação foi concebido para possibilitar a formação de um profissional com as competências e habilidades necessárias ao excelente exercício das atividades relacionadas à automação industrial.
Proporcionar a formação do Engenheiro de Controle e Automação, capaz de desenvolver com excelência as atividades pertinentes a sua profissão guiada por princípios éticos e de cidadania, comprometido com as necessidades da sociedade na qual está inserido.

Específicos
Destacam-se como objetivos específicos do curso, formar as seguintes características no profissional:
-Rápida adaptação à mudança tecnológica e integração à estratégia de negócios;
-Visão de novas oportunidades, trabalho em equipe, visão de mercado e atitude empreendedora;
-Proporcionar soluções viáveis, realistas e objetivas para os problemas do cotidiano da indústria;
-Trabalhar em equipes multidisciplinares, possuindo larga base científica e capacidade de comunicação;
-Capacidade de desenvolver seu próprio conhecimento;
-Criar, projetar e gerir intervenções tecnológicas;
-Atuar como transformadores sociais visando o bem estar social;
-Avaliar os impactos sociais e ambientais de suas intervenções, reagindo eticamente.

Atuação

O curso de Engenharia de Controle e Automação está embasado nas REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE ENGENHARIA, e também no respectivo conselho de classe, o CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Agronomia. Basicamente a profissão compreende tecnologias associadas a infraestrutura e processos elétricos, eletroeletrônicos e mecânicos, em atividades produtivas. Consequentemente, ao final do curso, o estudante estará apto a atuar no projeto, execução e instalação de sistemas de controle e automação, bem como a realizar o projeto, manutenção, gerenciamento e supervisão de processos industriais, respeitando normas técnicas e de segurança.
Diante disso, ele tem como possíveis mercados de trabalho: Indústrias, preferencialmente as de processos de fabricação contínuos, tais como petroquímicas, de alimentos e de energia; Laboratórios de controle de qualidade, de manutenção e pesquisa; Empresas integradoras e prestadoras de serviços, além de grande conhecimento técnico para desenvolvimentos empreendedores.

Laboratórios

O IFC Luzerna possui estrutura laboratorial diversificada e totalmente equipada para propiciar atividades práticas que complementam e colocam em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, de modo a permitir a experiência do aluno em atividades comuns à profissão do Engenheiro de Controle e Automação

Laboratório de Eletroeletrônica
Laboratório de Máquinas e Acionamentos Elétricos
Laboratório de Pneumática e Hidráulica
Laboratório de Informática Industrial
Laboratório de Projeto Integrador
Laboratório de Química
Laboratório de Física
Laboratório de Biologia
Laboratório de Informática 1
Laboratório de Informática 2
Laboratório de Informática 3
Laboratório de Segurança do Trabalho
Laboratório de Metrologia
Laboratório de Ensaios Mecânicos e Metalúrgicos
Laboratório de Usinagem CNC
Laboratório de Usinagem Convencional
Laboratório de Soldagem
Laboratório de Processos Metalúrgicos
Laboratório de Ciências Termofluidas
Laboratório de Soldagem
Laboratório de Projetos

Justificativa

A região oeste do estado, formada por 122 municípios, possui um parque industrial voltado para o setor agroindustrial, o qual responde por quantia significativa das exportações catarinenses. Para atender a esse complexo, instalou-se na região um grande número de micros e pequenas empresas do setor eletroeletrônico e metal-mecânico, carentes de mão de obra especializada no setor de montagem e manutenção de equipamentos, automação de processos, controle de qualidade e organização da produção.

Estudo realizado pela Fundação Dom Cabral (2014) com a participação de 167 empresas dos mais diversos setores, e que juntas representam 23% do PIB brasileiro, mostram a carência de profissões no país. ​Na pesquisa, pode-se observar que a categoria de técnicos representa a maior dificuldade para contratação, e a maior problemática é a falta de qualificação.