Menu principal
 

Objetivo

Gerais
Ofertar ensino de boa qualidade, voltado para a formação omnilateral dos educandos, integrando conhecimentos práticos e teóricos, permitindo desencadear o desenvolvimento de hábitos intelectuais e técnicas no exercício profissional do Técnico em Automação Industrial, para que assim possa prosseguir os estudos com competência, atuando de forma ativa na sociedade, na esfera do desenvolvimento econômico e tecnológico, respeitando os direitos fundamentais do ser humano e os princípios da convivência democrática.

Específicos
-Propiciar o desenvolvimento de competências de busca, linguagens, seleção e interpretação crítica de informações, integrando diversas áreas de estudo;
-Desenvolver nos educandos hábitos adequados de estudo, métodos de trabalhar coletivamente e com qualidades como empenho, organização, flexibilidade e tolerância;
-Proporcionar integração curricular efetiva entre o ensino profissionalizante e o ensino médio regular;
-Incorporar ao ato pedagógico ações que ​visem ressignificar a importância do conhecimento e o prazer de aprender;
-Fomentar a compreensão a cidadania como participação social e política, assim como o exercício de direitos e deveres;
-Incentivar a utilização do diálogo como forma de mediar conflitos e se posicionando contra a discriminação social e preconceitos como de raça, cor e sexo;
-Apresentar subsídios que levem ao interesse por diferentes formas de expressão artística e cultural;
-Implementar ações sustentáveis no IFC para que os estudantes interajam como integrantes do meio ambiente, ao mesmo tempo dependentes e agentes de transformações;
-Prover ao estudante conhecimentos práticos de hardware e software associados a estruturas microcontroladas e microprocessadas, possibilitando sua aplicação em controladores lógicos programáveis (CLPs), robôs, manipuladores, máquinas e à área de informática industrial;
-Habituar o estudante com técnicas de controle automatizado de processos industriais;
-Possibilitar ao estudante o conhecimento necessário para que possa elaborar e executar projetos técnicos em Automação Industrial;
-Fornecer aos estudantes o conhecimento teórico e prático das diversas atividades da área de Automação Industrial;
-Estabelecer meios para que o futuro profissional descubra seu verdadeiro potencial e inicie um processo de desenvolvimento de suas potencialidades na busca de sua realização profissional;
-Incentivar o empreendedorismo e a liderança

Atuação

O curso de nível médio integrado em Automação Industrial está embasado no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (CNCT, 2014), e também no respectivo conselho de classe, o CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Agronomia. Basicamente a profissão compreende tecnologias associadas a infraestrutura e processos elétricos, eletroeletrônicos e mecânicos, em atividades produtivas. Consequentemente, ao final do curso, o estudante estará apto a atuar no projeto, execução e instalação de sistemas de controle e automação, bem como a realizar a manutenção, medições e testes em equipamentos utilizados na automação de processos industriais, respeitando normas técnicas e de segurança.
A organização curricular do curso contempla ainda conhecimentos relacionados a: leitura e produção de textos técnicos; estatística e raciocínio lógico; ciência, tecnologia e inovação; investigação tecnológica; empreendedorismo; tecnologias de comunicação e informação; desenvolvimento interpessoal; legislação; normas técnicas; saúde e segurança no trabalho; gestão da qualidade e produtividade; responsabilidade e sustentabilidade social e ambiental; qualidade de vida; e ética profissional.
Diante disso, ele tem como possíveis mercados de trabalho: Indústrias, preferencialmente as de processos de fabricação contínuos, tais como petroquímicas, de alimentos e de energia; Laboratórios de controle de qualidade, de manutenção e pesquisa; Empresas integradoras e prestadoras de serviços.

De maneira complementar ao campo de atuação e mercado de trabalho detalhados anteriormente, o respectivo conselho de classe, CONFEA (Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Automação) regulamenta a atividade profissional dos técnicos de nível médio, na resolução nº 218, de 29 de Junho de 1973, mais especificamente no artigo 24. A profissão é regulamentada ainda pela Lei nº ​5.524, e 1968 e pelo Decreto nº 90.922, de 6 de fevereiro de 1985, aplicados à área de automação industrial/eletrônica; considerando que, para fins de fiscalização da atividade profissional, os egressos serão enquadrados, de acordo com o art. 1º da Resolução nº 343, de 1990, na área de habilitação 4 – Eletricidade.

Laboratórios

O IFC Luzerna possui estrutura laboratorial diversificada e totalmente equipada para propiciar atividades práticas que complementam e colocam em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, de modo a permitir a experiência do aluno em atividades comuns à profissão do técnico em automação industrial, bem como de conhecimentos de componentes curriculares básicas de nível médio.

Laboratório de Eletroeletrônica
Laboratório de Máquinas e Acionamentos Elétricos
Laboratório de Pneumática e Hidráulica
Laboratório de Informática Industrial
Laboratório de Projeto Integrador
Laboratório de Química
Laboratório de Física
Laboratório de Biologia
Laboratório de Informática 1
Laboratório de Informática 2
Laboratório de Informática 3
Laboratório de Segurança do Trabalho
Laboratório de Metrologia
Laboratório de Ensaios Mecânicos e Metalúrgicos
Laboratório de Usinagem CNC
Laboratório de Usinagem Convencional
Laboratório de Soldagem
Laboratório de Processos Metalúrgicos
Laboratório de Ciências Termofluidas
Laboratório de Soldagem
Laboratório de Projetos

Justificativa

A região oeste do estado, formada por 122 municípios, possui um parque industrial voltado para o setor agroindustrial, o qual responde por quantia significativa das exportações catarinenses. Para atender a esse complexo, instalou-se na região um grande número de micros e pequenas empresas do setor eletroeletrônico e metal-mecânico, carentes de mão de obra especializada no setor de montagem e manutenção de equipamentos, automação de processos, controle de qualidade e organização da produção.

Estudo realizado pela Fundação Dom Cabral (2014) com a participação de 167 empresas dos mais diversos setores, e que juntas representam 23% do PIB brasileiro, mostram a carência de profissões no país. ​Na pesquisa, pode-se observar que a categoria de técnicos representa a maior dificuldade para contratação, e a maior problemática é a falta de qualificação.

Histórico do Curso

O curso integrado em automação industrial iniciou com a primeira turma em 2014 e hoje conta com um total de 22 formados. Dentre os formados 11 alunos seguiram estudos em áreas tecnológicas, como Engenharia de Controle e Automação, Mecânica, Computação e Civil. Houveram aprovações em outros Institutos Federais, bem como em Universidades Federais, Estaduais e Particulares.